Roberto Kupski é nomeado presidente de honra do Fórum Nacional das Carreiras de Estado

O Fórum Nacional das Carreiras de Estado (Fonacate) realizou nessa quarta-feira, 28, sua 6ª edição da Conferência Nacional das Carreiras de Estado, em evento virtual devido à pandemia de covid-19. Em solenidade descontraída, com apresentação do grupo teatral Cia da Comédia G7, na abertura do evento, o auditor fiscal da Receita Estadual do Rio Grande do Sul aposentado, presidente de honra da Febrafite, Roberto Kupski, foi nomeado presidente de honra do Fonacate, entidade que ele presidiu no triênio 2013/2015 e ajudou a fundar a cerca de 15 anos.

A abertura contou ainda com a presença dos deputados professor Israel Batista (PV/DF) e Fábio Trad (PSD-/MS), coordenadores da Frente Parlamentar Mista em Defesa do Serviço Público (Servir Brasil), do anfitrião, presidente Rudinei Marques e do jurista Juarez Freitas.

Kupski manifestou satisfação de poder ver uma entidade construída com o apoio de entidades das carreiras de estado, do orgulho de receber a homenagem e do momento marcado pela crise sanitária no país. “É uma alegria e uma honra participar de mais essa conferência, sobretudo, neste momento em que o país passa por crises sanitária e econômica. Não tenho dúvida que a solução passa pelo serviço de qualidade que defendemos e a motivação para a criação do Fórum”.

Ele ressaltou ainda a atuação do presidente atual, Rudinei Marques, e de outras lideranças que ajudaram a constituir o Fórum, entre elas, o auditor fiscal do DF aposentado Lirando de Azevedo Jacundá, o promotor de Justiça do Ministério do Público do Estado de São Paulo, José Cosenzo, e o desembargador do Rio Grande do Sul, Aymoré Roque Pottes de Mello, primeiro presidente do Fonacate.

Aos parlamentares, Israel Batista e Fábio Trad, Kupski agradeceu o trabalho da Frente Parlamentar Mista em Defesa do Serviço Público e falou da importância da valorização do servidor. “Não se faz serviço público sem pessoas e o patrimônio humano deve ser o mais importante. Estamos vendo nesta pandemia o quanto o serviço público é fundamental, especialmente, para as pessoas menos favorecidas”, disse.

Abrindo o ciclo de debates, o jurista e professor da Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul (PUCRS), Juarez Freitas, e o senador Antônio Anastasia (PSD/MG) falaram sobre “Governo Digital e o Futuro do Serviço Público”.

Defesa do serviço público

Em seis horas de transmissão no canal do Fonacate no Youtube, a conferência debateu temas como gestão pública, avaliação de desempenho, estabilidade, integridade pública e assédio institucional.

O presidente da Febrafite e vice-presidente do Fórum, Rodrigo Spada, mediou o último painel que contou com a participação da professora da Fundação Getúlio Vargas Alketa Peci; do professor do Iesb e da UDF Amarildo Baesso; do presidente da Afipea e coordenador da Comissão de Estudos do Fonacate, José Celso Cardoso Júnior.

Logo na abertura do painel, Spada destacou a importância do serviço público. “Não existe vida em sociedade, não existe trabalho coletivo, construção coletiva, sem o serviço público, sem o Estado”, disse.

Na sequência, o presidente da Febrafite lamentou o descolamento da imagem do servidor público da prestação de serviços que entrega à sociedade. Esse descompasso, segundo ele, está no fato do cidadão, que reclama da falta de retorno do Estado, não conseguir enxergar o trabalho do servidor nas obras e nos serviços públicos que o cercam. Essa falsa imagem, ponderou, é fruto de uma campanha negativa. “Isso talvez seja proposital. Seja por interesse da mídia, seja por interesse dos grupos ideológicos que não veem o serviço público como fundamental para um país com tanta desigualdade como o nosso”, pontuou.

Por Ascom Febrafite com informações Fonacate